Como um blog virou o Eu Compraria!

Antes de começar esta história, quero dizer que estou orgulhoso de ser o primeiro a publicar no nosso novo blog! 🙂

Mudamos a plataforma, mudamos o endereço, mudamos o layout e eu (Pacato, o CEO)  e o Leon, o estagiário, vamos aparecer mais por aqui.

Vamos ao que interessa: você sabia que o Eu Compraria foi criado em 2007 e a ideia inicial era para ser um blog de conteúdo?

Eu já conhecia a história da empresa (você não vira CEO sem ter conhecimento da história e cultura da empresa) mas esta semana fiz uma pesquisa mais aprofundada e descobri coisas interessantes que achei legal compartilhar com vocês.

Os co-criadores

Antes de falar como tudo começou, quero fazer uma breve introdução sobre os 2 co-criadores do Eu Compraria.

O Guilherme é formado em design, pós graduado em gestão empreendedora, daltônico e programador – uma vez ele me contou que devido ao daltonismo era muito difícil conseguir aprovar uma arte e foi assim que resolveu trabalhar só com programação.

A Bianca é formada em design multimídia e pós graduada em Arquitetura da Informação, é especialista em usabilidade e experiência do usuário.

Os dois são um casal – e só isso já dá uma outra história, eles se conheceram por causa de blogs! Mas essa fica para outro dia.

Eles são nerds em pontos diferentes: o Gui é um maluco por programação (e terra média, eu acredito mesmo que ele é um Hobbit) e adora ficar fazendo experimentos, testes, automatizando coisas e lendo uns conteúdos malucos sobre inteligência artificial. Recentemente ele tá pirando em filmes Sci-fi, então se você tem dicas pode mandar nos comentários.

A Bia é aquela nerd que lê um monte de livros e é a nerd-de-humanas: sabe tudo sobre design (ela virou Google Expert em experiência do usuário, rolou uma festa aqui no escritório). Dá pra conversar sobre qualquer coisa com ela, que ela vai ter alguma informação legal pra compartilhar, mas se quer ver ela empolgada mesmo fale sobre design ou esportes (ou a união dos dois, como aquele capítulo de Abstract que fala sobre a Nike).

O blog

Lá nos tempos que a internet era tudo mato, o Gui e a Bia co-criaram um blog colaborativo sobre design e tecnologia. Ele se chamava And After e foi um grande experimento sobre “web 2.0” – esse termo só quem é macaco velho de internet compreende o quanto foi buzzword e como esse conceito era disruptivo (eu sou um gato e nós já dominamos a internet, então pode confiar quando falo sobre isso).

O And After cresceu e se transformou em blogs segmentados por assuntos mais específicos, um destes blogs foi o Eu Compraria. O objetivo do blog era bastante simples: os autores vasculhavam a internet em busca de conceitos e produtos que… eles comprariam. E daí esse nome maravilhoso: Eu Compraria!

O blog foi criado em 2007 e por 2 anos o Gui e a Bia compartilharam muuuitos produtos. O blog se tornou uma comunidade de leitores e colaboradores sonhando com vários produtos bacanas – e nunca conseguindo comprar (alguns nem existiam, por serem apenas conceitos, e outros não eram vendidos no Brasil).

De blog para empresa

Foi só em 2009 no projeto de TCC da pós-graduação da Bia que surgiu a ideia de transformar o blog em um e-commerce.

Não sei se eu podia estar falando isso, mas o investimento inicial em estoque foi de… $100. Isso mesmo. Esse tanto de produtos que você tá vendo lá na nossa loja começou com uma importação de $100.

Se você já participou de algum evento de startup e empreendedorismo nos últimos 5 anos, provavelmente já ouviu os discursos de “erre rápido”, “erre barato”, “valide antes”. Foi assim que a loja começou, com um teste de validação de negócio para um trabalho de conclusão de pós-graduação – e tem gente que diz que TCC é um saco, que é inútil… pô, faz algo que você vai usar! 😀

Como $100 não foram suficientes para montar um estoque de uma loja virtual, a estratégia inicial foi a de vender apenas um produto por dia (na época, baseado no w00t – dica do Matheus Haddad, orientador da Bia – o site faz isso até hoje).

O primeiro sistema foi feito em alguns dias, apenas para validação (fico só imaginando o código daquilo…) e o produto entrava no ar as 22:00 e ficava disponível até as 21:59 do dia seguinte. Eles aproveitaram todo o engajamento e o público que já tinham do blog para começar com as primeiras vendas.

Olha a gambiarra que descobri: a primeira versão não tinha nem sistema administrativo! O Gui cadastrava os produtos direto no banco de dados para novos produtos.

Nesta época o Gui e a Bia trabalhavam em outras empresas, então todo o trabalho do Eu Compraria! era feito em “terceiro turno”: eles organizavam os pacotes e respondiam e-mails a noite e o horário de almoço no trabalho era reservado para ir no Correio enviar os pedidos do dia anterior.

Quando a Bia apresentou o TCC o projeto já estava rodando, com vendas e com parte do investimento inicial já reinvestido na própria loja.

Com a ideia já validada eles começaram a levar o “hobby” de compartilhar produtos legais um pouco mais a sério, e o blog Eu Compraria! virou o e-commerce que você conhece hoje.

Bacana, né? 🙂